Painel sobre Desafios e Oportunidades em Energia para Data Center no Brasil: Disponibilidade, Geração, Acesso e Renováveis no DCD>Brasil 2019

Nossos painelistas discutirão quais e como devem ser as futuras políticas de governo para melhorar a competitividade de pequenos e médios data centers e a importância das renováveis para o desafio da energia nos data centers do Brasil
 

31 October 2019 escrito por DatacenterDynamics

Os desafios e oportunidades da energia para data center no Brasil será uma das temáticas em destaque da 11ª edição do DCD> Brasil, que acontece nos dias 5 e 6 de novembro, no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo. O painel contará com a participação de José Luiz de Martini, sócio-diretor da Engenharia Generencial SS; Bruno Pagliaricci, diretor de Engenharia e Infraestrutura da ODATA; Marcelo Tadeu, gerente de Engenharia da Sotreq e o Tiago Henrique Gonçalves, diretor de Planejamento da Everest Comercialização de Energia.
 
É certo que as organizações podem obter grandes benefícios através de investimentos estratégicos em eficiência energética no data center. De fato, um bom planejamento “verde” ou de eficiência energética, quando bem executado, reduz o custo das operações, traz grandes benefícios a nível de imagem corporativa e aumenta o nível da satisfação dos trabalhadores. 
 
No entanto, qual o ponto de situação do Brasil? Em que ponto estamos neste momento? Tem sentido falar em energias renováveis? Em que medida? Qual o potencial de disponibilidade e geração de energia no nosso país? E como isso afeta o resto? Essa e outras questões serão abordadas pelos nossos painelistas. Como forma de antecipar um pouco a discussão do painel, enviamos duas perguntas aos nossos painelistas e abaixo você encontrará as respostas e opiniões deles.
 
Quais e como devem ser as futuras políticas de governo para melhorar a competitividade de pequenos e médios data centers?
 
José Luiz de Martini da Engenharia Gerencial SS nos explica que os custos de energia elétrica no Brasil são estabelecidos de forma diferenciada para cada concessionária e ainda sofrem forte influência da tributação estadual. Por exemplo, no Estado de São Paulo, o ICMS é de 18%, no Rio de Janeiro é próximo a 30%.
 
Existem três classes de consumidores, para efeito de contratação de fornecimento:
 
- Demanda de até 500 kW – Consumidor cativo que com as tarifas da distribuidora local e respectivos tributos.
 
- Demanda contratada igual ou maior que 500 kW e inferior a 3.000 kW - Podem contratar exclusivamente energia proveniente de fontes renováveis: eólicas, solares, biomassa, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) com potência de até 50.000 kW que são as chamadas fontes especiais de energia (energia incentivada).
 
- Demanda acima de 3000 kW - Podem contratar energia proveniente de qualquer fonte de geração, independentemente do porte da usina.
 
Bruno Pagliaricci da ODATA acredita que há uma tendência mundial de concentração das infraestruturas de TI em grandes data centers e que se a redução de custo for aplicada, todo o mercado se beneficiará. Para data centers pequenos e médios, de tipo edge, deveríamos ter uma política de agrupamento destas unidades por grupo econômico, afirma.
 
No entanto, ele vê uma dificuldade muito grande de separação de custos de energia de pequenos data centers “in-house”, pois normalmente este consumo se confunde com prédios administrativos ou de uso misto. Em resumo, se a política de custos reduzidos atingir os grandes data centers e os data centers Edge, já teremos um aumento da competitividade do setor no país, mas ainda precisaríamos resolver a questão dos impostos de importação que precisam ser reduzidos para o desenvolvimento do setor e da economia da região, conclui.
 
Na opinião de Tiago Gonçalves da Everest, a elegibilidade para o mercado livre deve estar na pauta. Ele acredita que uma legislação que amplie a possibilidade de pequenos e médios data centers terem as mesmas oportunidades que os grandes players é essencial e informa que esta questão já está em pauta pelo Ministério de Minas e Energia, bem como um projeto de lei em andamento.
 
Qual a importância das renováveis para o desafio da energia nos data centers do Brasil? E como o país deve se preparar em curto, médio e longo prazo?
 
Ao analisar o impacto no clima de um data center devemos, obrigatoriamente, considerar o uso de recursos e a eficiência energética e, claro, do uso de diferentes fontes de energia para promover uma redução do impacto climático no planeta. O Brasil, exemplo de matriz energética limpa graças às hidrelétricas, tende a aperfeiçoar ainda mais esse modelo.
 
De Martinia firma que, analisando as condições de contratação do fornecimento, as energias renováveis são, de fato, importantes, pois geram a possibilidade de contratação para data center de pequeno e médio porte (demanda < 3000 kW). Para unidades com demanda acima de 3000 kW o mercado já oferece boas condições para contratação no mercado livre, permitindo redução no custo de energia de até 25%.
 
Pagliaricci considera a energia renovável um desafio para o mundo, e que esta deve ser ampliada, como forma de minimizar o impacto da humanidade no planeta. Bruno considera que as políticas de simplificação tarifária e de redução de custos são fundamentais para os data centers da região e acredita que há avanços significativos no setor eólico e, mais recentemente, em energia solar. E conclui que estimular e destravar as políticas de investimentos nestes setores trarão avanços para os data centers e seus usuários.
 
Ainda sobre esta questão, Tiago Gonçalves acredita que as energias renováveis possuem importância para a sociedade em geral no quesito de sustentabilidade. Em curto prazo, a questão tecnológica e a intermitência desta fonte são os desafios iniciais. Em médio e longo prazo, temas como subsídios, precificação e estabilidade regulatória devem ser resolvidas, conclui.   
 
Descubra todas as novidades do DCD> Brasil 2019
 
Além do painel de Energia, o DCD> Brasil contará com conteúdos relacionados às tendências e melhores práticas de data center (desenho, construção, cabeamento, energia e refrigeração).  Os profissionais do ecossistema tecnológico brasileiro têm um encontro marcado na 11º edição do congresso, que acontece nos dias 5 e 6 de novembro, no Centro de Eventos Pro Magno, na cidade de São Paulo.
Garanta  seu lugar no DCD>Brasil: https://dcd.events/conferences/brasil2019#tickets
 
Sobre a DCD
 
A DCD é uma plataforma de informação global focada na indústria de data center. Abrange cinco continentes, mais de 100 países, tem seis escritórios e oferece um acesso incomparável para os clientes através de 26 eventos anuais, além do alcance do meio de comunicação global.
 
A DCD busca proximidade com o setor de data center em todas as regiões em que realiza eventos, estabelecendo relações individualizadas com todos os profissionais com os quais se relaciona. Este contato pessoal, juntamente com um amplo conhecimento da dinâmica do setor, faz da DCD muito mais que uma fornecedora de mídia B2B, destacando-se pela quantidade e pela qualidade dos relacionamentos globais estabelecidos em longo prazo.
 
DCD>Events
 
Com 26 conferências anuais, consolidadas em capitais importantes em todo o mundo, os eventos da DCD são reconhecidos como o ponto de encontro para o setor, no qual os principais especialistas compartilham seus conhecimentos e experiência com os líderes de infraestrutura em cada mercado.
 
Em 2017, mais de 26.000 professionais seniores participaram dos congressos da DCD, criando o fórum mais influente da indústria na atualidade.
 
Para mais informação, visite: https://www.dcd.media/eventos/
 
Ou entre em contato através do e-mail marketing.latam@dcd-group.com ou do telefone (11) 3197-2023.
 

CONECTAR-SE COM DCD

ENTRAR


Esqueci a senha?

Criar conta MyDCD

Você precisa de profissionais qualificados?

regiões

region LATAM y España North America Europe Em Português Middle East Africa Asia Pacific

Whitepapers Ver Todos