Migração para a Nuvem: o mercado de data center mudou?

Estudo indica que, hoje, 80% das organizações adotam recursos em nuvem e que apenas 8% não têm interesse no conceito
 

10 August 2018 escrito por Tatiane Aquim

Migração para a Nuvem: o mercado de data center mudou?
Marcos Siqueira, diretor de serviços da Ascenty
De acordo com a Ascenty, o mercado de data centers tem grande potencial para crescimento, nos próximos anos; a demanda das empresas por esses serviços tende a aumentar a cada dia. Fato este, que está diretamente alinhado ao crescimento do armazenamento de dados e à migração de dados para a nuvem. Segundo a consultoria IDC, os gastos globais com serviços públicos de Computação em Nuvem atingirão US$ 141 bilhões em 2019. O estudo indica também que, hoje, 80% das organizações adotam recursos em nuvem e que apenas 8% não têm interesse no conceito
 
Em entrevista exclusiva, Marcos Siqueira, diretor de serviços da Ascenty, avalia o mercado brasileiro de Computação em Nuvem. Leia, a entrevista, a seguir.
 
DatacenterDynamics: Em que nível está o mercado de cloud no Brasil hoje? 
 
Marcos Siqueira: O mercado de cloud como um todo vem apresentando crescimento acelerado, motivado pela necessidade dos clientes em ter alta disponibilidade, segurança e flexibilidade. Cientes dessa demanda, temos realizado expressivos investimentos na construção de novos data centers e na oferta de conectividade com baixa latência com as principais nuvens públicas. Além dos oito data centers em operação, iniciamos a construção de mais seis data centers, que em grande parte irão suportar o armazenamento de provedores globais de cloud computing. Para isso, aumentamos o financiamento de $190 milhões de dólares para $350 milhões de dólares, liderado pelos bancos Itaú e ING.
 
DCD: Quais são as vantagens hoje de ter conexão direta com os principais provedores de nuvem?
 
M.S.: A interconexão é um fator crítico para o bom desempenho dos negócios em cloud: por muitas décadas, o data center proprietário foi a base da arquitetura de tecnologia de uma empresa. Porém, com o crescimento do mercado de cloud computing, as companhias começaram a ampliar a infraestrutura para além do perímetro físico. Entre as vantagens das conexões diretas com principais cloud providers, destacamos, principalmente:
 
Alta Performance: a conexão direta entre o data center e as nuvens públicas proporciona baixa latência, o que melhora e agiliza a operabilidade dos serviços 
 
Segurança: a conexão privada estabelecida pela rede própria de fibra óptica da Ascenty oferece maior segurança às informações que trafegam entre as nuvens públicas e o data center ou escritório do cliente, pois permite controle fim-a-fim sobre os dados que são transferidos
 
Redução de Custos: a conexão direta também dispensa a necessidade de utilizar grandes capacidades de internet para transferência de dados entre o data center e/ou escritório e as nuvens públicas, o que diminui os custos
 
Customização: é possível personalizar o tipo de conexão de acordo com a necessidade, a conexão dedicada vai de 50 Mbps à 10 Gbps, de onde precisar e para a nuvem pública que escolher
 
Disponibilidade: esse tipo de conexão também permite acessos redundantes, o que garante disponibilidade dos serviços na nuvem pública 
 
DCD: Em que estágio está a migração das empresas para a nuvem no Brasil hoje?
 
M.S.: A migração das empresas para a nuvem está em um ritmo de crescimento contínuo e progressivo e tem bastante espaço para crescer. Quando falamos em América Latina, a consultoria IDC aponta que o mercado latino-americano de cloud computing crescerá a taxas superiores às verificadas nas demais regiões do mundo. Uma pesquisa recente da Unisys indica que, no Brasil, 56% das empresas planejam migrar suas aplicações para a nuvem nos próximos 12 a 24 meses. O país está em um ponto estratégico, sendo sede das operações de diversas empresas multinacionais que demandam pelos serviços gerenciados de nuvem da Ascenty. Atualmente temos oito data centers em operação e mais seis em construção no Brasil, devido à alta demanda, o que mostra que o mercado está em franca expansão.
 
DCD: Ter um data center próprio não é adequado para uma empresa em que aspecto? 
 
M. S.: Ter um data center próprio demanda infraestrutura adequada, que acarreta em altos custos e muita dedicação para o gerenciamento. Para se ter uma ideia, cada data center da Ascenty custa, em média, 60 milhões de dólares. Além disso, é preciso contar com uma equipe própria para gerenciamento de toda essa infraestrutura, enquanto o ideal é ter uma equipe focada no negócio da empresa. Ou seja, essa opção acaba sendo economicamente e estrategicamente inviável para as empresas. 
 
Contar com um parceiro de infraestrutura de data center garante economia de custos, maior segurança e disponibilidade. Nossos data centers possuem as principais certificações de mercado relacionadas à qualidade de infraestrutura, segurança e gestão de serviços. Todas as nossas unidades possuem sistema de distribuição tri-bus e contam com refrigeração de alto desempenho. No quesito segurança física, existe um monitoramento 24x7 com detecção automática de movimento em alta definição, além de uma equipe de segurança altamente capacitada. 
 
DCD: Gostaria que listasse alguns provedores de cloud que são parceiros da Ascenty.
 
M. S.:  Temos parceria com as maiores empresas provedoras de cloud, são elas:
• Amazon, com AmazonDirect Connect
• Microsoft, com o Microsoft ExpressRoute
• SoftLayer IBM, com o IBM Cloud
• Oracle, com o Oracle Fast Connect
 
DCD: Quantos data centers a Ascenty possui em operação e quantos estão em construção?
 
M. S.: A Ascenty possui 8 data centers em operação, localizadas em Campinas, Jundiaí, Sumaré, Hortolândia, Fortaleza, São Paulo (SP1 e SP2) e Rio de Janeiro. Além disso, temos outros seis data centers em construção. Nossa atuação é focada nos mercados do Brasil da América Latina, atendendo clientes nacionais e internacionais.
 
DCD: Que certificações os data centers da Ascenty possuem?
 
M. S.: Nossos data centers contam com as seguintes certificações:
 
Uptime Institute Certified – Tier III Design e Facility: qualidade de infraestrutura;
Tier 3 da TÜV Rheinland: qualidade de infraestrutura;
ISO 27001: segurança da informação;
ISO 20000: gestão de serviços de TI;
ISO 14001: sustentabilidade do meio ambiente;
PCI (DDS Compliance): processamento de cartão de crédito;
ISAE 3402 e SSAE 16: segurança física e de processos.
 
DCD: Que opções a Ascenty oferece para conectividade?
 
M. S.: Mais de 40 provedores de telecom estão interconectados com a rede de fibra óptica própria da Ascenty, interligando os principais pontos de troca de tráfego e os maiores provedores de cloud. 
Nossas ofertas de conectividade incluem:
 
Lan to Lan: a Ascenty é uma das únicas empresas do país a oferecer a transmissão via Lan to Lan para conexões com os principais provedores de cloud pública do mercado
 
MultiprotocolLabelSwitching (MPLS): essa solução permite o uso de uma rede única para transmitir e compartilhar aplicações de dados
 
DenseWavelength Division Multiplexing (DWDM): a solução DWDM da Ascenty interconecta todos os pontos da rede sem intermediários. As redes oferecem redundância, que são conexões de baixa latência, o que permite o transporte de diversos tipos de arquivos e replicação de dados de forma sincronizada. 
 
Link IP: nossa solução de conectividade com banda IP redundante garante o aumento de disponibilidade
 
LastMile: permite que os serviços das operadoras cheguem a locais que hoje ainda não são abordados, a Ascenty oferece aquela “última milha” de conexão que faltava 
 
Cross Connect: essa solução interconecta o ambiente de TI, o link de telecomunicações e os recursos data centers em um ecossistema dinâmico, dentro do data center
 
PIX: a conexão no PIX da Ascenty permite acesso direto entre as redes dos principais provedores de internet (ISP – Internet Service Provider) e empresas com AS (Autonomous System), o que facilita a troca de informações e tráfego
 
 
 
 

CONECTAR-SE COM DCD

ENTRAR


Esqueci a senha?

Criar conta MyDCD

Você precisa de profissionais qualificados?

regiões

region LATAM y España North America Europe Em Português Middle East Africa Asia Pacific

Whitepapers Ver Todos