Tecnologia de Redes MESH é ideal para automatizar a conectividade da medição de energia elétrica visando a Tarifa Branca

Tecnologia faz com que as distribuidoras de energia consigam inovar em gestão e acompanhar evolução e demandas do mercado consumidor de energia 

11 May 2018 escrito por Ricardo Hayashi

Em mais de três meses de vigência da Tarifa Branca como “nova modalidade de cobrança” do consumo de energia elétrica no Brasil, ainda nos deparamos com uma movimentação modesta por parte das distribuidoras de energia. O cenário adequado seria que já tivesse iniciado um movimento massivo de automação da medição de energia elétrica, que permitisse o gerenciamento dos indicadores de desempenho com alto nível de agilidade, confiabilidade e disponibilidade de recursos energéticos.
 
Para que essa automação ocorra da forma mais eficiente a partir de um sistema de comunicação de dados “inteligente, eletrônico e conectado”, a tecnologia de Redes MESH é a ideal. Facilmente implantável e com baixa demanda de investimento para implantação (em relação às demais tecnologias), destaca-se pelo fato de cada medidor se comunicar com o que está mais próximo dele, passando os dados de dispositivo para dispositivo e, então, finalmente chegando a um concentrador – o que seria impossível com a tradicional leitura manual do uso de energia, principalmente pela dificuldade de estar presente todos os meses em determinados locais.
 
Consequentemente, a tecnologia de Redes MESH proporciona às distribuidoras dois benefícios primordiais que caracterizam a adequação à Tarifa Branca:
 
1) Aperfeiçoamento da qualidade da energia: a tecnologia de Redes MESH “monitora a saúde da estrutura da rede de energia”, disponibilizando o acesso a todas as informações em qualquer período e local – inclusive com uma tabela estatística do nível de demanda de energia para auxiliar a identificação, por exemplo, de sobrecarga nas subestações.
 
Dessa forma, permite responder com agilidade a problemas que possam afetar as redes de distribuição e o fornecimento de energia. É uma forma de resolver em minutos um problema que levaria horas para ser solucionado de forma manual e, principalmente, fornecer a melhor qualidade possível da energia elétrica fornecida.
 
Um exemplo prático está na identificação da ausência de energia em uma determinada área. Com tecnologia MESH, a distribuidora pode reestabelecer parte do serviço e redirecionar o fornecimento de energia de forma rápida e remota, sem a necessidade de aguardar a presença física de profissionais que irão atuar “in loco”.
 
2) Cobrança correta do consumo de energia: a tecnologia de Redes MESH permite acesso às áreas mais afastadas e deficientes em conectividade (principalmente as áreas rurais) para que haja a leitura regular do consumo de energia. Isso é possível porque, devido à sua abrangência e flexibilidade para atuar com várias opções de roteamento de dados, ocorre uma adequação automática a vários tipos de adversidade que possam surgir na infraestrutura da rede de comunicação.
 
E como todos os dados coletados com utilização de Redes MESH são enviados em tempo real (online) para os respectivos centros de medição, as distribuidoras têm condição de monitorar corretamente o consumo dos clientes (identificando os horários de pico e os comportamentos de uso de energia) para cobrar, também, o valor correto dos mesmos. Por isso, não há perda de receita comercial e é possível reduzir custos com infraestrutura e mão de obra.
 
Em termos estratégicos, podemos concluir que a tecnologia de Redes MESH faz com que as distribuidoras de energia consigam inovar sua gestão e, principalmente, acompanhar a evolução e demandas do mercado consumidor de energia para ampliar a competitividade e rentabilidade no mercado.
 
*Ricardo Hayashi é responsável por Produtos para Conexões Inteligentes da Atech.
 
 

CONECTAR-SE COM DCD

ENTRAR


Esqueci a senha?

Criar conta MyDCD

Você precisa de profissionais qualificados?

regiões

region LATAM y España North America Europe Em Português Middle East Africa Asia Pacific

Whitepapers Ver Todos